Bolo Prestígio {Chocolate e Coco}

Hoje é o dia internacional do chocolate.
Pelo nome do blogue dá para perceber, que sou fã de chocolate. Ora se assim é, não era sequer concebível, deixar passar este dia, como se de qualquer dia se tratasse!
Este bolo, já há muito tempo que o andava a namorar... Coco e chocolate é uma combinação perfeita, parece até que nasceram um para o outro!
Pelo que tenho pesquisado é uma receita brasileira, mas que, como qualquer outra, tem inúmeras versões.
Eu, como não podia deixar de ser, fiz também a minha. Um mix das várias que fui vendo, tirando de cada uma a parte que me pareceu melhor. A Bimby, foi a minha grande aliada, no sucesso desta maravilha!
Acho que só pecou (um bocadinho!), por só ter recheado uma vez. Ou seja, devia ter dividido o bolo em 3, e recheado generosamente entre camadas.
É delicioso, certamente a repetir. Os morangos dão lhe um toque especial. É a cereja no topo do bolo, ou melhor, o morango!!
Usem e abusem do chocolate, que hoje não parece mal!

Ingredientes:

Bolo:
  • 4 Ovos
  • 2 Chávenas de açúcar
  • 2 Chávenas de farinha com fermento (ou juntar 1 c.chá de fermento)
  • 1 Chávena de Chocolate em pó (de qualidade, usei um com uma boa percentagem de cacau)
  • 1 Chávena de óleo
  • 1 Chávena de água
  • 2 colheres de chá de café solúvel.
Recheio:
  • 150 g de Coco ralado
  • 1/2 lata de Leite condensado (usei magro)
  • 2 latas Cheias de leite
  • 2 c.sopa de Amido de milho (Maizena)
Cobertura:
  • 150 g chocolate negro (tablete)
  • 1/2 lata de leite condensado
  • 1/2 pacote de natas
Morangos e coco ralado para enfeitar

Método:
  1. Na bimby, com a borboleta, bater os ovos, 3min. Vel.3, 37º.
  2. Juntas o açúcar e bater mais 2 minutos, sem temperatura.
  3. Juntar o óleo, envolver.
  4. Juntar a farinha com o fermento e o chocolate, envolver.
  5. Juntar a água morna, com café dissolvido. Envolver até ficar uma massa uniforme.
  6. Untar e polvilhar a forma, ou forrar com papel vegetal. Adicionar a massa.
  7. Levar ao forno, pré-aquecido a 170/180º, cerca de 30 min, ou até fazer o teste do palito, e este sair limpo.
  8. Entretanto prepara-se o recheio, juntando todos os ingrediente num tacho, levar ao lume baixo, mexendo sempre até engrossar, ou na bimby, 90º, Vel. 2. Deixar arrefecer.
  9. Tirar o bolo, desenformar e deixar arrefecer.
  10. Abrir o bolo, dividindo-o em 2 ou 3 partes iguais.
  11. Rechear e montar o bolo.
  12. Preparar a cobertura, numa taça de vidro juntar os ingredientes, levar ao micro-ondas, um minuto de cada vez, mexendo em cada minuto, até ficar um creme uniforme. (2 a 3 minutos deve ser suficiente)
  13. Espalhar por cima do bolo.
  14. Enfeitar a gosto, com morangos, coco ralado, e opcionalmente com palitos de biscoito de chocolate.
Bom apetite, e "Bons Postiscos"!


Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!



Codornizes Recheadas {...e bem Acompanhadas}

De vez em quando apetece comer algo diferente. Não que codornizes, seja algo de tão especial, mas não é usual, pelo menos lá por casa.
É uma carne de ave, muito macia e com muito pouca gordura, portanto saudável!
Tem o inconveniente de ter muito ossinho, e na verdade de cada uma delas, pouco se aproveita, e dão trabalhinho a comer... e por isso são ótimas para alguém como eu, que teima em comer "à pressa" mesmo quando não é preciso...
Também há a hipótese de as desossar... mas o trabalho é imenso...e confesso que não me apeteceu!
Desta vez, recordei uma receita que já tinha experimentado, e que correu muito bem. Já não me lembrava como se fazia, e não tinha apontado, por isso fui fazendo a sentimento, conforme os ingredientes existentes e o estado de espirito!
O resultado foi muito bom. Não é tão elaborado quanto aparenta, e é perfeitamente possível recriá-la no dia-a-dia.

Espero que gostem!
Ingredientes (Serve 3/4)
  • 6 Codornizes
  • Feijão Verde
  • 6 fatias de Bacon
  • 3/4 Salsichas Frescas (usei de aves)
  • 6 Ameixas secas sem caroço
  • Alho em Pó
  • 1 Cebola
  • 2 Cenouras
  • 5/6 Dentes de Alho
  • 1 Embalagem de Cogumelos Fresco
  • Salsa q.b.
  • Vinho do Porto
  • Pimenta Moída na hora
  • Azeite
  • Sal
  • Colorau
  • 1 folha de louro
Método:
  1. Limpar as codornizes, temperar por dentro e por fora esfregando-as com sal e alho em pó.
  2. Demolhar durante uns minutos as ameixas num pouco de vinho do porto.
  3. Tirar a pele às salsichas, e rechear o interior de cada codorniz, colocando no meio de cada uma, uma ameixa.
  4. Enrolar as codornizes em bacon, prendendo com um palito. Reservar.
  5. Descascar a cebola, e partir em pedaços médios, os dentes de alho picadinhos, e as cenouras ás rodelas. Arranjar os cogumelos e parti-los em quartos- reservar
  6. Levar ao lume uma frigideira grande (que tenha tampa), com um pouco de azeite, quando estiver quente, alourar as codornizes.
  7.  Juntar a cebola, o alho a cenoura e um pouco de salsa picada, o vinho do porto (1 cálice pequeno, aproveitado o que teve as ameixas). Deixar cozinhar, 5-10 minutos.
  8. Juntar os cogumelos. Retificar os temperos, a pimenta moída, e deixar estufar e apurar. (Se necessário pode ir-se juntando água ou um pouco de vinho branco)
  9. Entretanto arranja-se o feijão verde, e coze-se em água fervente temperada de sal. (Com o tacho destapado para manter o verde vivo)
  10. Numa outra frigideira, picam-se 2 ou 3 dentes de alho, com um pouco de azeite, e salteia-se o feijão verde, podendo juntar-se ervas aromáticas a gosto ( eu gosto de usar uma mistura de ervas e alho, para legumes ou aves)
Serve-se as Codornizes com o Feijão Verde, e os legumes do estufado.
Bom apetite e Bons "Postiscos"!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!

Empadão de Atum {com Puré de Batata}

 
A gestão do dia-a-dia, mesmo para quem vive em vilas ou cidades mais pequenas, revela-se cada vez mais, um desafio quase cronometrado.
Acordamos de manhã já a pensar e organizar as tarefas do dia, para não dizer do dia seguinte ou mesmo da semana.
Aqui por casa, após o dia de trabalho normal, além das tarefas domésticas, que não se fazem sozinhas (devia haver uma mágica qualquer... o tratar da roupa por exemplo é um suplicio....detesto!!! Passar a ferro então...) há que levar a princesa às atividades (um dia natação, outro patinagem, depois a música...), pelo meio fazer recados, compras, etc!
Depois é chegar a casa e pensar no jantar!!! Ai o jantar!!!! O eterno dilema das mães (e de alguns pais, que já vai havendo por aí muita casa em que os homens assumem estas funções)... 
Eu adoro cozinhar, mas ter todos os dias que decidir o cardápio é que me atormenta... por isso, muitas vezes tento fazer pratos que sirvam para duas refeições...e assim, pelo menos no dia seguinte, não preciso pensar no assunto!!!

Esta receita é exemplo disso,  fácil, rápida, e resulta numa dose bastante generosa, para uma família numerosa, ou para 2 refeições de 3 gatos pingados, que é o caso cá de casa!

Não sou muito fã de alimentos pré-preparados, mas por todos os motivos atrás descritos, às vezes tornam-se perfeitos!!!! :)

Ora vamos lá:

Ingredientes (Serve 6):
  • 1 Frasco de lombos de atum em azeite (gosto muito deste tipo de atum do Lidl)
  • 1 Lata de Cogumelos
  • 1 Cenoura grande
  • 1 ou 2 Tomates maduros (ou mini-tomates)
  • 1 Tira de pimento verde
  • 1 Tira de pimento vermelho
  • 1 Raminho de Salsa
  • 1 Cebola
  • 3 Dentes de Alho
  • 1 Folha de Louro
  • Sal q.b.
  • Vinho branco q.b.
  • Mistura de pimentas moídas na hora
  • Noz-moscada q.b.
  • 1 Embalagem de Puré de Batata (em flocos ou congelado)
  • Água, leite e manteiga (conforme instruções do puré)
  • 1 Gema de ovo
Método:
  1. Picar a cebola e os alhos, e levar ao lume numa caçarola (usei um wok), com um pouco de azeite (usei o do atum) e a folha de louro, até transparecer.
  2. Junta-se a salsa picada, o tomate limpo de pele e sementes e picadinho (ou os mini-tomates, só cortados em quartos) a cenoura ralada, os pimentos aos cubinhos. Envolve-se e deixa-se saltear. Junta-se os cogumelos cortados ao meio, refresca-se com o vinho branco, e deixa-se cozinhar 5 a 10 minutos.
  3. Junta-se o atum, retificam-se os temperos com sal e pimenta, envolve-se com cuidado para o atum não desfazer muito, ferve uns minutos, e tira-se do lume.
  4. Entretanto prepara-se o puré de acordo com a embalagem, reduzindo um pouco a quantidade de líquido, para ficar mais consistente. Junta-se noz-moscada, e a pimenta moída na hora.
  5. Num pirex de forno, coloca-se metade do puré, distribui-se o atum e por cima o restante puré.
  6. Com um garfo espalha-se a gema de ovo uniformemente.
  7. Vai ao forno a 180°C até dourar.
Serve-se com uma boa salada.
Cá em casa foi uma salada de alface com couve roxa, cenoura ralada e tomate cherry, temperada com sal, azeite e vinagre balsâmico. Muito fresca e crocante!!!

Bom apetite e Bons "Postiscos"!


Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!

Bacalhau à Braz {Saudável!!!}

Ultimamente tenho andado a tentar fazer umas refeições (mais) saudáveis.
O objetivo é adaptar as receitas "normais", retirando-lhes alguns "excessos", fazendo-as assim menos pesadas nas calorias, mas mantendo o paladar que lhe é característico...
Desta vez, o alvo foi o Bacalhau à Braz!!! Uma receita tão portuguesa quanto calórica....
Pesquisa daqui, pesquisa dali... e resolvi experimentar substituir a batata por courgette e juntar-lhe mais algumas alterações na forma de cozinhar, que farão a diferença!
Ser saudável não tem que querer dizer, comida sem graça ou desenxabida... é preciso é puxar pela imaginação.... et voilá!!! Acho que nunca mais faço Bacalhau à Braz de outra forma...
Ora então:
Ingredientes (Serve 3/4):
  • 400g de bacalhau limpo (usei migas de bacalhau)
  • 3 courgettes
  • 4 ovos inteiros + 2 claras
  • 2 cebolas
  • 4 dentes de alho
  • 1 folha de louro
  • 1 molhinho de salsa
  • Azeite (3 a 4 c.s)
  • Sal q.b
  • Pimenta moída na hora
Método:
  1. Desfiar finamente o bacalhau, em cru, e demolhá-lo (se ficar bem fininho, basta lavar em algumas águas e deixar de molho 15 a 20 minutos)
  2. Cortar as courgettes (ainda com casca) em palitos fininhos (usei uma mandolina), e salteá-las numa frigideira grande, em lume forte com uma pitada de sal e um fiozinho de azeite. Reservar.
  3. Cortar as cebolas em rodelas bem fininhas, e picar os alhos. Num tacho grande, levar ao lume  com um fiozinho de azeite, o louro e a salsa picada. Assim que aquecer juntar umas gotas de água, de maneira que a cebola refogue, mas sem fritar.
  4. Juntar o bacalhau bem escorrido, envolver, e deixar cozinhar.
  5. Juntar as courgettes e envolver durante uns minutos. Retificar o sal, caso seja necessário.
  6. Bater os ovos inteiros com as claras, a pimenta moída na hora, e mais um pouco de salsa picada.
  7. Juntar ao tacho fora do lume e envolver bem. Levar ao lume alto, até os ovos cozinharem, mexendo sempre.
Servir com uma boa salada!
Onde reduzimos calorias, e tornamos o prato mais saudável:
- Courgette em vez de batata, e salteada em vez de frita.
- Não deixar fritar o refugado, deixando a cebola quase estufada (usando um pouco de água)
- Reduzir a quantidade de gemas. As claras são muito pouco calóricas, e sem colesterol, e no final não se vai notar diferença.

Espero que gostem, e experimentem!

Bom Apetite e Bons "Postiscos"!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!

Arroz Doce Especial {com Pêssego}

Arroz doce é daquelas sobremesas bem tradicionais, que não pode faltar em nenhuma mesa portuguesa.
A minha mãe sempre foi (e ainda é!) a mestra do arroz doce! Nem me atrevia a competir. Apesar dela não gostar de cozinhar, sempre foi uma excelente cozinheira...
Com o tempo, fui achando que tinha que ser capaz de fazer arroz doce, era só o que faltava!!!
Na minha cozinha também há uma bimby (já devem ter percebido!!!), mas confesso que não gosto da receita de lá. Pra mim, arroz doce tem que ser no tacho! O carinho e a paciência são ingredientes fundamentais....
Não tenho receita certa, faço sempre a olho. Tenho apenas alguns truques, que não são mais do que lhe ir juntando aquilo que o tacho me vai pedindo, talvez seja intuição, não sei... o aroma, a textura, o paladar vão sendo ditados ao longo da sua cozedura, quase como por magia...
É isto que adoro na cozinha, a magia que acontece ao juntarmos os ingredientes, mas ao mesmo tempo, sermos nós a gerir o processo. Depende de nós, do estado de espirito, da paixão, do querer perfeito, do imaginar do resultado final...
A fruta, neste caso o pêssego não é essencial, embora eu ache que faz toda a diferença. O contraste é fabuloso.
Neste caso usei em calda (da lata), mas na sua época (que já não tarda muito) ficará muito melhor com pêssego em calda, mas do caseiro...então aí, nem vos conto...fica pra lá de maravilhoso.
Desta vez, estive atenta às quantidades que fui juntando, para que vos possa explicar da melhor forma que me for possível.
Aventurem-se e sigam os vossos instintos, sairá perfeito!
Ingredientes:
  • 1 chávena (tipo meia de leite) de Arroz (Especial para arroz doce, ou carolino)
  • 2 chávenas de água
  • Pitada de sal
  • 1 ou 2 cascas de limão
  • 1 Pau de canela
  • 1 a 2 litros de leite (meio gordo)
  • 1 a 2 chávenas de açúcar refinado
  • 1/2 Saqueta de preparado para leite creme
  • 1 lata de pêssego pequena
  • Canela em pó
Método:
  1. Num tacho grande, levar o arroz com a água e uma pitada de sal a cozer, em lume brando, mas com o tacho destapado.
  2. Num fervedor, levar 1 litro de leite ao lume para aquecer (sem ferver) e juntar o pau de canela e a casca de limão.
  3. Assim que o arroz secar (começam a aparecer furinhos, mas não estará ainda cozido) vai-se juntando aos poucos o leite, bem como o pau de canela e a casca de limão (que estava no leite). Vai-se mexendo em lume brando, até verificar que o arroz está quase cozido. Nesta altura junta-se o açúcar. (eu deito uma chávena, e depois vou juntando mais ou menos até estar doce a meu gosto)
  4. À medida que o arroz vai cozinhando e crescendo, o leite vai-se reduzido, e aí vai-se juntando mais leite (morno).
  5. Quando o arroz está bem cozido, desfaz-se o leite creme num pouco de leite e junta-se ao tacho. Deixa-se ferver e engrossar. Retifica-se o açúcar e o leite, e volta a ferver. Deve ficar bastante cremoso, pois até arrefecer o arroz continua a absorver o liquido.
  6. Na taça de servir, dispõe-se o pêssego aos cubinhos, que deve estar o mais seco possível da calda (limpo com papel absorvente antes de cortar).
  7. Deita-se por cima, com cuidado, o arroz.
  8. Deixa-se arrefecer um pouco. Polvilha-se com canela em pó.
Eu gosto de servir ainda morninho. É delicioso!

Nota: O tipo de arroz utilizado, vende-se em pacotes de 250g (normalmente está junto aos preparados para doces, tipo pudins). Este arroz tem um grão mais arredondado, logo tem mais goma, e por isso o arroz doce fica muito mais cremoso. É idêntico ao Arbóreo (do Risotto), que também é adequado.
Dentro dos "comuns" o Carolino é o mais apropriado. O agulha tem um grão pontiagudo, logo menos goma, e  por isso não é indicado para esta sobremesa, tal como também não o é para pratos caldosos ou "malandrinhos".

Bom apetite e Bons "Postiscos"!


Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!