Rolo de Alheira com Tâmaras e Nozes

Apesar de também fazer receitas doces, são os salgados que me enchem as medidas... é aqui que me permito dar asas à imaginação. É maravilhoso misturar ingredientes, às vezes improváveis e no final surpreender com o resultado. Este "postisco" é um exemplo disso. A primeira vez que fiz, foi numa festa de aniversário da minha filha em que no meio da azáfama, sobrava um placa de massa quebrada, uma alheira e umas tâmaras... "não fui de modas" misturei, enrolei, e forno. Não cheguei a provar, pois assim que caiu na mesa, desapareceu num piscar de olhos. Bom sinal. Se calhar era bom. Depois num jantar improvisado em casa de amigos lembrei-me e repeti a experiência, mas juntei também miolo de amêndoa (era o que havia) e fez de novo sucesso. Este fim-de-semana houve mais um encontro de amigos claro está, à volta da mesa, e a pedido especial, voltou a sair... mas com nova versão. Quanto a mim a melhor. A alheira casa lindamente com as nozes, e as ervas aromáticas dão aquele toquezinho especial... desapareceu num ápice.
Rápido, fácil e surpreendente. Será preciso mais alguma razão para preparar um belo "postisco"?
Não sendo tradicional, fica como sugestão também para enriquecer a mesa de Páscoa, que já está à espreita.

Ora tomem nota:

Ingredientes (Faz 4 rolos) 
- 2 placa de massa quebrada
- 3 alheiras de Mirandela 
- 100g miolo de  noz (ou amêndoa sem pele)
- 200g de tâmaras 
- 1 c. chá Segurelha, usei seca da Aromas d'Oureana
- 1 c. chá Tomilho,  usei seco da Aromas d'Oureana
- 1 c. chá Tomilho-Limão, usei seco da Aromas d'Oureana
- 1 gema de ovo para pincelar (ou um pouco de leite)

Método tradicional:
Pré-aquecer o forno  190º.
1. Descaroçar e picar em pedacinhos pequenos, as tâmaras. 
2. Picar ou miolo de noz/amêndoa, juntar às tâmaras.
3. Tirar a pele às alheiras e juntar. Deitar as ervas aromáticas. Envolver tudo, até ficar uma massa bem misturada.
4. Estender cada placa de massa e dividir ao meio, ficando com 4 partes.
5. Dividir a massa de alheira em 4 partes mais ou menos iguais, distribuir, ao meio e no sentido longitudinal da massa. enrolar, e com as mãos ir unindo a massa, de forma a ficar um rolo bem fechado. no topo fazem-se uns furinhos com o bico da faca ou um garfo. 
6. Pincela-se com gema de ovo (ou leite) e polvilha-se com um pouco das ervas usadas, ou só uma delas (usei o tomilho).
7. Forra-se um tabuleiro de forno com papel vegetal (pode usar-se o que vem na massa), colocam-se os rolos e vai ao forno até a massa estar cozida. Cerca de 30 minutos.

Método com Bimby:
Pré-aquecer o forno  190º.
1. Descaroçar e colocar as tâmaras no copo. Picar. 10 seg. Vel 5/6
2. Juntar o miolo de noz/amêndoa, e picar mias uns segundos na mesma velocidade
3. Tirar a pele às alheiras e juntar. Deitar as ervas aromáticas. Envolver tudo, até ficar uma massa bem misturada. 30 seg, Vel 3.
4. Estender cada placa de massa e dividir ao meio, ficando com 4 partes.
5. Dividir a massa de alheira em 4 partes mais ou menos iguais, distribuir, ao meio e no sentido longitudinal da massa. enrolar, e com as mãos ir unindo a massa, de forma a ficar um rolo bem fechado. no topo fazem-se uns furinhos com o bico da faca ou um garfo. 
6. Pincela-se com gema de ovo (ou leite) e polvilha-se com um pouco das ervas usadas, ou só uma delas (usei o tomilho).
7. Forra-se um tabuleiro de forno com papel vegetal (pode usar-se o que vem na massa), colocam-se os rolos e vai ao forno até a massa estar cozida. Cerca de 30 minutos.

Retira-se do forno, arrefece um pouco, para não partir a cortar. Corta-se em fatias... Serve-se, por exemplo numa das maravilhosas tábuas da Gradirripas.

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.

Obrigada!
Bom "Postisco" e Bom apetite!

Obrigada aos parceiros do "Pão com Chocolate" pelos produtos, que marcaram a diferença neste prato... quer no sabor como na apresentação.


















Cericá

Cericá ou Seircaia, com "C", com "S"...tanto faz. Para mim é Cericá desde sempre. É das primeiras receitas do meu caderninho. Aprendi com a tia Teresa, irmã do meu avô, que sendo de Évora depois de casar foi viver para Campo Maior, de onde esta receita é típica
Actualmente já se vê um pouco por todo o Alentejo e até por Portugal, mas é no Alto Alentejo que é tradicional.Quando bem feito, deve ter uma textura húmida, mas leve, fofa e esponjosa. A crosta de canela dá-lhe o acabamento, e para que goste do doce extra, o acompanhamento da famosa " Ameixa de Elvas"o toque final.O prato de barro, pouco fundo é obrigatório para a sua cozedura, não só pela apresentação, mas também porque a forma como o barro conduz o calor influencia claramente no resultado.
No ano passado, concorri à Mesa dos Portugueses com esta sobremesa. Não foi apurada. Mas isso não significa que não seja maravilhosa, porque é mesmo!!!As fotos não estão na melhor qualidade, mas arrisquem porque vale muito a pena.

Ora vamos a ela:

Ingredientes:
13 Ovos
400 g de Açúcar
0,5 l Leite
2 c.s. de Farinha (bem cheias)
2 Paus de Canela 
2 Cascas de Limão
Manteiga q.b. (para untar)
Canela em pó q.b. (para polvilhar)
Ameixas de Elvas, para servir

Método (Tradicional)
1. Separar a gemas das claras.
2. Juntar o açúcar com a farinha e as gemas, mexendo bem.
3. Adicionar o leite em fio, mexendo sempre.
4. Juntar o pau de canela atado com a casca de limão.
5. Levar o preparado ao lume mexendo sempre com colher de pau, para não pegar, nem engranitar.
6. Quando engrossar e fizer “estrada”, tira-se o pau de canela e casca de limão, bem como do lume. Deixa-se amornar.
7. Bate-se as claras em castelo (com uma pitadinha de sal) bem firmes, e vão se juntando creme, envolvendo delicadamente, com uma vara de arames.
8. Unta-se um prato de barro baixo com manteiga ou margarina.
9. Vai-se deitando o preparado às colheradas desencontradas, sem nunca alisar. (Importantíssimo)!
10. Polvilha-se generosamente com canela.
11. Vai ao forno, bem quente (180ºC).
12. Quando já tiver uma crostazinha, sem retirar do forno, ajuda-se a abrir as rachas que se vão formando, levemente com duas colheres.
13. Volta ao forno até cozer, fazendo o teste do palito até que saia limpo.


Serve-se só, ou acompanhado com ameixa de Elvas e a respectiva calda.

Método (com Bimby)


1. Separar a gemas das claras.
2. No copo da bimby, juntar o açúcar, farinha e as gemas. Bater. 30 seg. Vel. 4.
3. Juntar o leite e voltar a bater. 15 seg. vel 4
4. Juntar o pau de canela atado com a casca de limão, e colocar a borboleta.
5. Programar 10 min. vel 2. 90ºC
6. Verificar se está um creme grosso, se não programar mais 1 ou 2 minutos, mesma temperatura e velocidade.
7.Deitar o creme numa taça, para arrefecer um pouco, e descartar o pau de canela. Deixar amornar.
8. Bater as claras em castelo (com uma pitadinha de sal) bem firmes. Juntam-se ao creme, envolvendo muito delicadamente, com uma vara de arames.
8. Unta-se um prato de barro baixo com manteiga ou margarina.
9. Vai-se deitando o preparado às colheradas desencontradas, sem nunca alisar. (Importantíssimo
10. Polvilha-se generosamente com canela.
11. Vai ao forno, bem quente (180ºC).
12. Quando já tiver uma crostazinha, sem retirar do forno, ajuda-se a abrir as rachas que se vão formando, levemente com duas colheres.
13. Volta ao forno (baixando a temperatura para 150º/160ºC, até cozer, fazendo o teste do palito até que saia limpo.

Serve-se só, ou acompanhado com ameixa de Elvas e a respectiva calda.

Bom apetite e Bons "Postiscos"! 


Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.

Obrigada!


Empada de Bacalhau {com Camarão e Cogumelos}

Empadas. Empadinhas. Empadões. São daquelas iguarias extraordinárias. Adoro porque me permitem criar uma infinidade de receitas, à medida da imaginação do momento, ou daquilo que o frigorífico tiver para nos dar. E isto é a magia da cozinha.
Este mês, dou as boas vindas à primavera num dia frio, mas com um sol explendoroso, como só no meu Alentejo, com uma receita de Empada, que responde também ao desafio do "Dia Um ... Na Cozinha".
Nesta categoria de "postiscos", para mim só há uma regra. A massa. Tem que ser tipo "Quebrada" ou "Areada". O Recheio já é suficientemente rico. Uma massa folhada vai tornar a empada gordurosa demais, sem necessidade.
As Empadas de Galinha são sempre intemporais, mas já as publiquei junto da Sopa da Panela, e são de facto maravilhosas... não tivessem ganho o prémio de "Melhor receita de Portugal" na categoria de Sopas e Entradas do concurso A Mesa dos Portugueses' 2014 (gaba-te cesto... :) )
Mas desta vez, tinha que apresentar uma receita nova, e de imediato pensei em bacalhau... e camarão... e legumes... e cogumelos frescos... e por aí... Ficou absolutamente maravilhosa... 

Deliciem-se!

Ingredientes (1 empada grande ou 12 pequenas)

Massa
Usei a receita da massa das empadinhas de galinha (AQUImas pode usar-se massa quebrada de compra.

Recheio
- 1 embalagem de migas de bacalhau congelado (400g)
- 1 embalagem de cogumelos frescos laminados
- 100 g miolo de camarão grande.
- 1/2 alho francês
- 1 cenoura
- 1 Tomate maduro limpo de peles e sementes (ou 3 c.s. polpa)
- 1 tira pimento verde
- 1 tira pimento vermelho
- 1 cebola
- 2 dentes de alho
- Azeite q.b.
- Salsa q.b.
- Louro q.b.
- Vinho branco q.b.
- Vinagre q.b.
- Farinha q.b.
- Ervas aromáticas a gosto (tomilho, etc) e Noz moscada

Método:

1. Preparar a massa e deixar descansar. Pré-aquecer o forno a 180ºC
2. Descongelar o bacalhau, e dar uma fervura em pouca água. (Ou levar ao microondas uns minutos, numa taça de vidro) (Desfiar grosseiramente, e reservar a água)
2. Descascar e lavar o legumes. Fatiar finamente a cebola e o alho francês. Cortar aos cubinhos os pimentos e o tomate. Ralar a cenoura.
3. Levar ao lume alto, num wok ou frigideira larga, a cebola, o alho picado, o alho francês e a cenoura ralada com o louro, com um pouco de azeite.
4. Juntar os restantes legumes e saltear. 
5. Juntar os cogumelos, um pouco de sal, ervas aromáticas, noz moscada e saltear uns minutos. Deitar um pouco de vinho branco.
6. Juntar o bacalhau, o miolo de camarão, um pouco de vinagre e a salsa picada, envolver. 
7. Polvilhar com farinha e ir mexendo, juntando aos poucos água do bacalhau, até ficar um recheio cremoso e aveludado. Ir retificando as quantidades e temperos. Tirar do lume e deixar amornar.
8. Estender a massa e forrar uma tarteira grande, ou várias pequenas, reservando parte das massa para as "tampas".
9. Preencher com o recheio, colocar as tampas, unir as bordas, pincelar com gema de ovo ou leite, e levar ao forno até a massa estar cozida, cerca de 30 min.

Bom apetite e Bons "Postiscos"!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!
Dicas:
1. A massa fica muito boa se for aromatizada, com ervas, por exemplo, a esta massa juntei tomilho seco, antes de estender.
2. Se entretanto a empada ganhar muita cor por cima, mas a massa ainda não estiver cozinhada, tape com papel de alumínio e deixe no forno mais um pouco.