Bacalhau Espiritual

Bacalhau Espiritual, terá sido provavelmente a primeira receita a sério que cozinhei.
Aprendi esta receita há mais de 20 anos, no primeiro livro de cozinha que tive, presente dos meus pais.
Ao inicio, fazia tudo tal e qual a receita mandava. Com o tempo fui adaptando algumas coisas... pois conforme fui ganhando alguma prática, comecei a deixar de gostar de seguir a receitas, fui fazendo a minha versão, a olho e sentimento, sem nunca mais olhar para a original.
Era um prato especial, para dias de festa à seria, e que fazia sempre sucesso... mas era tão trabalhoso, sujava tanta loiça, que às vezes não me apetecia fazer.
Quando casei, acho que passou a ser o prato de bacalhau preferido do marido. Sempre que havia uma jantarada, e lhe perguntava o que fazer...a resposta era já obvia: Bacalhau Espiritual!!!
A bimby, veio a revelar-se uma amiga fundamental e perfeita para agilizar, poupar tempo e loiça... o que faz com que esta receita consiga sair com mais facilidade.
O fim-de-semana passado, foi um exemplo disso... numa petiscada de ultima hora, tinha que preparar qualquer coisa rápida... estava sem ideias, e vai-se lá saber porquê, apeteceu-me este bacalhau... mas pensei: impossível, não tenho tempo... ainda ir às compras... não, não vai dar!!
Mas a teimosia às vezes toma conta de mim, e tinha que ser...
Saltei alguns passos, que normalmente são importantes... mas o resultado foi muito bom na mesma!

Deixo-vos a versão exta-rápida, da bimby que em pouco mais de 30 minutos, me brindou com uma bela travessa!!!

As fotas, não são as melhores e não fazem jus ao valor que este prato tem... mas não houve tempo nenhum para esses trabalhos (isso também já era pedir demais, não?)

Ingredientes (Serve 6):
- 2 postas grande de bacalhau demolhado (usei uma embalagem de migas congeladas +- 400g )
- 2 cenouras
- 1 cebola grande
- 3 dentes de alho
- 1 molhinho de salsa fresca
- 1 folha de louro
- azeite (3/4 c.s.)
- 4 pãezinhos (usei bolinhas biju) + leite para amolecer
- 800 ml leite
- 90 g farinha
- 40 g margarina
- 100 ml natas
- 100 g fiambre
- 200g camarão limpo (usei miolo de camarão, mas é muito melhor com camarão cozido e depois descascado)
- 200 g queijo ralado (usei mozzarella e emmental)
- 2 gemas de ovo
- sumo de 1/2 limão (ou a gosto)
- Sal q.b
- Noz moscada q.b
- Pimenta moída na hora (q.b.)
- pão ralado aromatizado (com ervas aromáticas, alho em pó e queijo em pó)

Método:
Com Bimby
1. Picar grosseiramente o pão na bimby (uns segundos, vel 4/5)
2. Numa taça de vidro, colocar o pão, regar com leite morno, até cobrir o pão. Reservar.
3. No copo da bimby, juntar a cebola, os dentes de alho, a cenoura e a salsa. Picar tudo, vel. 5, 10 seg.
4. Juntar o azeite e a folha de louro. Refugar. Temp. varoma, vel 2, 4 minutos.
5. Entretanto, desfiar grosseiramente o bacalhau descongelado (se for à posta, dar uma fervura antes, para ser mais fácil tirar as espinhas. como usei migas, foi só desfiar)
6. Juntar o bacalhau ao refugado, e cozinhar mais 8 minutos, na mesma temperatura e velocidade.
7. Entretanto, com uma colher de pau (ou as mãos) mexer bem o pão de forma a que fique uma papa, e bem embebido no leite. Se for necessário junta-se mais um pouco de leite.
8. Cozer o camarão (caso use inteiro, pode usar-se a água do bacalhau, se for miolo, coloca-se numa taça de vidro com um pouco de sal, e leva-se uns minutos ao microondas. Coze rapidamente)
9. Junta-se o pão ao bacalhau, envolve-se e cozinha mais uns minutos.
10. Retira-se o preparado para o pirex que há-de levá-lo ao forno.
11. Sem lavar o copo, prepara-se o bechamel. Os 800 ml de leite, a farinha, a margarina, sal, noz moscada e pimenta moída. 8 min. 90º, vel. 4.
(Nota: se quiser use a água de cozer o bacalhau ou do camarão, substituindo parte do leite, sendo que no total deverá ter os 800 ml)
12.  Juntar parte do molho ao bacalhau e envolver. (cerca de metade, deve ficar uma mistura cremosa mas consistente)
13. À outra parte, com a bimby a trabalhar, 90º, vel 3, ir juntado, as natas, as gemas, o sumo de limão, e deixar cozinhar cerca de 1 a 2 minutos.
14. Junta-se o camarão o fiambre picado em quadradinhos, e 2/3 da embalagem de queijo.
15. Envolver e retificar os temperos.
16. Deitar este preparado, sobre o do bacalhau, sem envolver.
17. Polvilhar com o restante queijo ralado e como o pão ralado aromatizado, enfeitar com azeitonas, levar ao forno (200º) só até gratinar por cima.

Ufa! Já está.... parece trabalhoso mas na verdade além da bimby, só usei mais duas taças... e foi sempre a bimbar... :)

Da forma tradicional...
terá que picar os ingredientes do refugado, ir juntando tudo num tacho, e noutro à parte fazer um bechamel à mão, que é muito trabalhoso....também há sempre a hipótese de usar o do pacote, mas nesta receita o caseiro, faz muita diferença!

Servir acompanhado de uma boa salada verde.

Deliciem-se e Bom apetite!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!

Charlotte de Manga & Pailtos La Reine Caseiros

Parece que o calor resolveu dar o ar da sua graça e finalmente temos primavera já com cheirinho de verão. À sua conta temos também o aumento da frequência das petiscadas e convívios entre amigos, bem à moda alentejana.
Ora numa mesa que se prese, não pode faltar sobremesa. 
Numa visita à pagina da Clara de Sousa "A minha cozinha" aprendi que podemos fazer em casa os palitos de la reine. E o que fui aprender!!!
Estes bolos acompanharam a minha infância, vendiam-se avulso ou a peso nas padarias locais. Sempre os adorei, aliás lembro-me de gostar de os comer assim, simples como se de qualquer outro bolo se tratassem.  Mas como quase tudo o que era bom, deixou de se vender, não sei se por não ser permitido pela lei da higiene alimentar, ou simplesmente porque foram sendo ultrapassados pelos embalados, cheios de "e's" e outros ingredientes que nem sei o que querem dizer... e com isto perdi o rasto a um sabor e textura inigualável, e que os tais embalados não chegam sequer ao calcanhares.
Quando vi a publicação da Clara de Sousa. Foi uma boa surpresa, e uma certeza de que tinha que os fazer.
A versão base para charlotte, então foi uma ideia genial. Assim que surgiu uma almoçarada entre amigos, num monte bem alentejano, num dia de calor, cá vai ela.... foi Ouro sobre azul!
Tinha em casa uma lata de polpa de manga, que tinha de a usar, então pensei em fazer um misto, entre mousse de manga e charlotte.
Os palitos, na verdade não saíram palitos...saíram todos juntos, pois como diz o ditado popular "A pressa é inimiga da perfeição" e quando pensei em fazê-los como não tinha saco de pasteleiro, usei uma solução alternativa que não correu como deve ser.
Ainda assim, o resultado final não foi muito mau, e consegui fazer a base e envolvente da charlotte, que era o mais importante.
Para o recheio, e em honra da minha luta balança vs prato, fiz algumas alterações, substituindo parte das natas por iogurte natural, e não usei açucar, ou  leite condensado, de forma a que a culpa não fosse tão pesada! :)

Resultado final muito bom, leve e fresco como o verão pede!

Ingredientes:

Palitos (adaptado de "Na minha Cozinha" )
  • 4 ovos L
  • 150g açúcar
  • 150g farinha T55 c/ fermento (farinha para bolos)
  • Pitada de sal grosso
  • Açúcar em pó q.b.
Recheio de Manga
  • 1 lata de polpa de maga grande
  • 1 pacote de natas light para bater
  • 3 iogurtes gregos naturais
  • 6 folhas de gelatina neutra
  • Sumo de limão q.b.
  • leite condensado (2 a 3 c.s) (opcional, não usei)
  • Framboesas para enfeitar
  • Sumo de manga q.b.
Método:

Palitos

Com bimby:
1. Bater as claras em castelo, com o sal, com a borboleta, vel 3/4.
2. Assim que estiverem espumosas, juntar o açúcar, pouco a pouco, com a bimby a trabalhar, até estarem bem firme, com picos, tipo merengue.
3. Juntar as gemas e bater uns segundos, só até as "partir".
4. Na vel.1, envolver delicadamente a farinha peneirada, juntando metade de cada vez.
É importante não bater demasiado a massa. A textura deve ser firme, mas fofa.
Tradicional:
1. Bata as claras com a pitada de sal e quando começarem a ficar espumosas, junte o açúcar a pouco e pouco, batendo sempre, até estar em merengue.
2. Junte as gemas e bata na velocidade máxima apenas 2 segundos, só para 'partir' as gemas.
3. Com uma espátula, envolva delicadamente metade da farinha peneirada e depois a outra metade.
É importante que não bata demais a massa. A textura deve ser firme, mas fofa.
Coloque imediatamente a massa num saco de pasteleiro.
NOTA: esta massa não pode esperar. Tem de ser usada o mais rapidamente possível para não começar a perder o ar que tem no seu interior.
Para formar a base a as laterais da charlotte:

Podem seguir  o passo-a-passo da receita original: Na minha Cozinha.


De uma forma breve, como fiz:
1. calculei o perímetro da forma que usei (uma forma normal de abrir, de 20cm, tem cerca de 63 cm) e medi a sua altura.
2. Numa folha de papel vegetal, fui fazendo os palitos, ao lado uns dos outros (que acabaram por se unir), com a altura da forma, em duas filas (cerca de 35 cm de comprimento cada)
3. Noutra folha de vegetal, marquei a circunferência da base, virei ao contrario, e preenchi desde o centro para a periferia com massa em caracol.
4. No final, levar ao forno pré-aquecido a 180º, durante cerca de 10 min, ou até estar bem cozido.
5. Tirar do forno, deixar arrefecer, e tirar do papel vegetal.
6. Voltei a forrar a forma com vegetal, com receio que o bolo se pegasse.
7. Colocar a base no fundo, e por cima, as laterais, aparando a parte de baixo, para assentar bem na base. Reservar
Recheio (na bimby):
1. Hidratar as folhas de gelatina, numa taça de vidro, com um pouco de água. Quando estiverem moles, deita-se fora parte da água, e o restante leva-se ao microondas uns segundos para derreter. deixa-se arrefecer, enquanto se prepara o resto.
2. Com o copo, bem limpo e seco, e as natas bem frescas, coloca-se a borboleta, as natas, e umas gotas de limão, sem tempo. Começa-se a bater na velocidade  2 , para não salpicar tudo e quando começam a engrossar aumenta-se a velocidade progressivamente até ao 4 e sem o copo medida para as natas receberem ar para poderem subir mais. Ter atenção para não passarem a manteiga.
3. Junta-se os iogurtes (sem o soro) envolve-se.
4. Envolve-se a polpa de manga. Reservando um pouco para o final.
5. Juntar a gelatina, e envolver bem com uma vara de arames.
Se achar pouco doce, pode juntar-se um pouco de leite condensado, e envolver.


Montagem:

1. Borrifar o bolo com um pouco de sumo de manga (usei bongo de manga)
2. Deitar o recheio, com atenção, deixando os bordos dos bolos, bem fechados para evitar sair por fora.
3. Deitar a restante polpa de manga por cima, em movimentos circulares, de forma a que não se mistura completamente.
4. Levar ao frigorifico, para solidificar e refrescar (se possível umas 12h)

Antes de servir, com cuidado, tirar a forma e o papel vegetal.
Enfeitar a gosto, usei manga fresca e framboesas que ligam muito bem com a manga.

Servir bem fresquinho!

Bom apetite, e Bons "Postiscos"
Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!


Bacalhau Fresco {com Espargos e Tomilho}

Nunca tinha cozinhado bacalhau fresco. Não sei porquê, sempre achei que seria estranho!
Um engano, é de facto muito bom. Idêntico mas mais suave na textura e no sabor.
Tentei também cozinhá-lo de uma forma muito simples, para que pudesse efetivamente apreciá-lo.
Sem dúvida a repetir. E é também uma ótima receita para a Balança vs Prato! Pois os espargos fazem um acompanhamento muito saboroso.
No final temos um prato muito rápido, bonito, apelativo, e saudável! O que mais podemos querer?

Espero que gostem!

Ingredientes (Serve 3/4):
  • 4 Postas de bacalhau fresco
  • 12 Hastes de Espargos (ou a gosto)
  • 8 tomates chucha mini
  • 4/5 Chalotas
  • 6 dentes de alho
  • 1 folha de louro 
  • Alho em pó q.b.
  • Mistura de Pimentas moída na hora q.b
  • Colorau q.b
  • Flor de Sal (Ou sal marinho)
  • Azeite q.b 
  • Vinho branco q.b
  • 4 Hastes de tomilho fresco
Método:
  1. Numa assadeira, disponha o bacalhau, os espargos, os tomatinhos, as chalotas descascadas, os dentes de alho ligeiramente esmagados mas ainda com a pele, sem que os alimentos se sobreponham, e a folha de louro partida em pedaços grandes.
  2. Temperar com o sal e as especiarias.
  3. Borrife com vinho branco (muito pouco) e regue com um fio de azeite.
  4. Junte as hastes de tomilho.
  5. Leve a assar em forno bem quente.
Não demorará muito tempo, cerca de 20 minutos. O bacalhau por ser fresco cozinha mais rápido que o seco e demolhado.

DICA 
Se durante o cozinhado, a assadeira ganhar muito caldo. Retire uma boa parte, de forma a que possa assar rápido em vez de cozer.
Esse caldo sobrante pode ser aproveitado para fazer por exemplo um arroz, ou guardar (eu congelo em formas de cubos de gelo), ficando com cubos de caldo de peixe natural, e muito saboroso.

Bom apetite e Bons "Postiscos"!

 Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!


CupCakes de Festa!

O príncipe Salvador fez um aninho. Tem tido um início de vida com alguns percalços, mas tem sido um valentão e um grande guerreiro! Por isso e por ser um lindo menino, mereceu a festa à sua altura que os Papás lhe prepararam.
Eu, como gosto sempre de preparar miminhos doces, não podia perder a oportunidade de o presentear com um docinho.
Adoro cupcakes, e a combinação da cenoura com cream cheese de citrinos é dos meus preferidos!
E desta vez, houve várias versões...
Cupcakes recheados e decorados com pasta de açúcar... Cupcakes com cobertura de cream cheese... E como a massa rendeu muitíssimo, ainda saiu um mini bolo também recheado e coberto com o mesmo creme.
Espero que o Salvador, os Papás e os seus convidados tenham gostado!
Ingredientes (para 24 cupcakes e 1 mini bolo)
Bolo:
  • 3 a 4 cenouras
  • 4 Ovos L
  • 2 chávenas de açúcar (mal cheias)
  • 1/2 chávena de óleo
  • 2 chávenas de farinha
  • 1 c.s. fermento
  • 1 pitada sal
Cream cheese de citrinos
  • 100 g manteiga à temp. ambiente
  • 150g queijo fresco para barrar
  • 100 a 150 g açúcar em pó
  • 2 c.s sumo laranja
  • Raspa laranja q.b.
Método:

Bolo
  1. Triturar a cenoura descascada em puré num liquidificador, ou Bimby (vel. 8/9). Reservar.
  2. Bater os ovos até duplicarem de volume (Bimby: com borboleta, 37°, vel.3, 3 min.)
  3. Juntar o açúcar e bater mais uns minutos. (Bimby: com borboleta, vel.3, 2 min.)
  4. Juntar o óleo, envolver (Bimby: vel.3)
  5. Juntar a cenoura, uma pitada de sal e envolver (Bimby: vel.3)
  6. Juntar a farinha e o fermento, peneirados, e envolver com cuidado (Bimby: vel.2)
  7. Levar ao forno, pré aquecido a 170/180ºC, em forma forrada com papel vegetal ou em caixinhas individuais de cupcake.

Cream cheese
  1. Bater a manteiga até duplicar (Bimby: vel.3 com borboleta, 3-4 min.)
  2. Ir juntando o açúcar batendo sempre, até estar um creme liso (Bimby: vel.3 com borboleta)
  3. Juntar o queijo, o sumo e a raspa de laranja. Bater mais um pouco até estar um creme macio e fofo. (Bimby: vel.3 com borboleta)
  4. Levar ao frigorífico pelo menos 1h antes de usar.
- Para o bolo, depois de frio, abrir ao meio, rechear e cobrir com o creme.
- Para os cupcakes (depois de frios) enfeitar por cima com o creme, com a ajuda de um saco de pasteleiro.
Para finalizar, decorei com gomas, confetis e purpurinas alimentares.
- Para os cupcakes decorados com pasta de açúcar, recheiam-se, da seguinte forma:
   - Abre-se um orifício no centro do cupcake até ao fundo (depois do bolo frio), e retira-se esse pedaço de bolo,
   - Preenche-se o orifício com creme, e barra-se o topo com uma camada fina, onde posteriormente, será colocada a pasta de açúcar.

Espero que gostem!

Bom apetite e Bons "Postiscos"!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!




Empadão de Couve Flor {e Chuchu}

Empadão. Uma refeição que adoro, desde sempre! Mas nesta fase, de luta contra a balança a batata é proibida.
Como um dos meus objetivos é tentar, de certa forma recriar as receitas tradicionais, tornando-as menos pesadas e calóricas, tinha que arranjar uma alternativa ao puré de batata.
Lembrei-me então da couve-flor, que embora não se dê grande coisa por ela, é bastante versátil e efetivamente pouco calórica.
É muito rica em vitaminas (A, B, K) e sais minerais (cálcio, ferro, magnésio e sódio), e é a mais digestiva de todas as couves.
Tem portanto uma série de benefícios para a saúde, ajudando a prevenir doenças cancerígenas e a controlar problemas de estômago, diabetes e prisão de ventre.
Em várias pesquisas, encontrei de facto imensas receitas em que nunca me passaria pela cabeça usar a couve-flor.
Por tudo isto, daqui em diante vai passar a estar mais presente na minha cozinha, e convosco partilharei o resultado das minhas experiências.
Por agora, deixo-vos esta sugestão de empadão, em que juntei também o chuchu, que por ter um paladar neutro ajudou a suavizar o sabor da couve-flor, assim como também contribuiu para um puré mais sedoso.
É certo que o resultado final não é igual ao do puré de batata, pois este seria mais denso... Mas é igualmente muito saboroso.
Substituí também a carne de vaca por carne de peru, o que reduz ainda mais caloricamente a receita.
Espero que gostem!
Ingredientes (Serve 2/3)
Puré:
  • 1 couve-flor
  • 1 chuchu
  • Leite q.b.
  • Manteiga q.b
  • Sal e Noz moscada a gosto
Carne:
  • 300 g Carne de perú picada
  • 1 cebola
  • 2 dentes de alho
  • 2 tomates maduros (ou 1/2 lata de tomate)
  • 1 tira de pimento verde
  • 1 tira de pimento vermelho
  • 1 dl vinho branco
  • 1 folha de louro
  • 3 c.s. azeite
  • sal e pimenta a gosto
Queijo ralado ou em pó, q.b
Método:
Para o puré:
1. Lavar e separar a couve-flor em raminhos. Lavar, descascar e tirar o caroço ao chuchu. Cortar em pedaços.
2. Cozer ao vapor. Usei a bimby. Com cerca de 1 litro de água no copo, a couve-flor e o chuchu na varoma, temperados com um pouco de sal. cerca de 30 min. Temp. varoma. Deixar cozer bem.
3. Triturar o puré. Usei a bimby. Descartar a água. Deitar no copo os legumes, e triturar, na vel 4/5. Juntar um pouco de leite, muito pouco, pois a textura já é muito macia, e temperar a gosto com manteiga, sal e noz moscada. Cozinhar mais uns minutos (temp. 100º, vel 2). Reservar.
Para a carne:
1. Picar a cebola, os alhos. Refugar um pouco no azeite, juntamente com o louro, e os pimentos picados. (Na bimby: temp. varoma, vel. 3, 3 min.)
2. Juntar a carne picada e deixar cozinhar um pouco (na bimby, na mesma temperatura, vel. 2)
3. Juntar o vinho branco, e temperar a gosto, cozinhar mais um pouco.
4. Juntar o tomate limpo de peles e pevides e bem picadinho, deixar cozinhar, cerca de 10 a 15 min. (bimby: 100º, vel 2/3). Retificar os temperos.
Montagem:
Num pirex de forno, colocar a carne, cobrir com o puré. Polvilhar com um pouco de queijo ralado ou queijo em pó. Enfeitar com azeitonas.
6. Levar ao forno pré-aquecido a 180º, até dourar.
7. Tirar, e deixar arrefecer um pouco antes de servir.
Servir acompanhado, por exemplo de uma boa salada verde.
Bom apetite e bons "Postiscos"!


Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!

Quiche 1.° Maio


Em dia de feriado, em honra de quem trabalha, por terras alentejanas, o almoço é passado entre família e amigos, no campo e como não pode deixar de ser em torno de uma mesa recheada.
Como alentejana que sou, comigo não podia ter sido diferente, e hoje a seguir a um belo passeio pedestre pelos campos floridos com a criançada, por entre vários petiscos, sardinhada e afins, preparei uma quiche que se queria ligeira, para quem anda em guerra com a balança....e que ao mesmo tempo respondesse ao desafio do "Dia Um...na Cozinha" deste mês de Maio.
Assim, saiu uma quiche de legumes em fiambre de peru, que substituiu a tradicional massa.
Não segui nenhuma receita, saiu a sentimento, com o que havia lá por casa!

Bom feriado, com ótimos "postiscos"!!

Ingredientes:
  • 200g Fiambre de Peru
  • 1 Embalagem de Espargos verdes frescos
  • 2 Courgettes
  • 2 bolas mozzarella light
  • 1 Embalagem de cogumelos frescos fatiados
  • 1Embalagem de tomate chucha mini
  • 3 ovos
  • 100 ml Leite magro
  • 100 ml Natas soja
  • Ervas aromáticas q.b.
  • Sal q.b
 Método:
  1. Lavar os legumes, fatiar finamente no sentido longitudinal a courgette e os cogumelos.
  2. Num grelhador anti-aderente grelhar os espargos, os cogumelos, e as fatias de courgette.
  3. Fatiar finamente as bolas de mozzarella.
  4. Forrar a tarteira com as fatias de fiambre.
  5. Bater os ovos, com o leite, as natas, temperar com sal e ervas aromáticas a gosto. Deitar na tarteira.
  6. Dispor os legumes em espiral, alternados com o queijo, partindo do centro para a periferia.
  7. Levar a forno pré-aquecido a 180°C, até cozinhar e dourar por cima.
  8. Servir morno, como entrada ou como refeição principal acompanhada de uma boa salada.
Bom apetite!

Nota: os legumes grelhados, dão um sabor mais intenso à quiche, e permitem que cozinhe mais rápido, pois já não libertam tanta água, que os cogumelos e a courgette têm bastante.

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!