Perú de Natal {com Batatinhas e Castanhas}

O Natal cá em casa foi passado como habitualmente, em família. A ementa da consoada, é a mesma desde há anos, tradicional e onde não há ordem de mudança. Bacalhau cozido com todos e Carne Frita à Alentejana...Segue-se o festival da doçaria, em que vão havendo algumas novidades, mas as filhoses, azevias, fatias douradas, sonhos e bolo rei não podem faltar. Depois vem a cereja no topo do bolo. A azáfama da abertura dos presentes, que tem vindo a ser cada vez mais contida, pois as crianças de outrora já são adultos, restando apenas uma princesa para quem a magia do natal continua a brilhar. No dia de Natal a mesa continua posta, e as receitas continuam as tradicionais, sai um tabuleiro de Roupa Velha, e umas Migas de Batata para acompanhar o resto da Carne Frita...
Quanto ao Perú, nunca foi um prato muito apreciado... houve anos em que era assado inteiro, como manda a regra, mas sobrava e durava dias e dias... foi-se reduzindo, e passou a ser uma metade, e depois uma perna assada... Definitivamente não resultava, e ficava sempre para o fim, até se transformar num empadão ou noutro prato de aproveitamentos. Este ano, resolvi fazer diferente... voltei a ressuscitar o Perú, mas numa espécie de Rôti recheado. Fui criando a receita à medida que a preparava, a sentimento e com os ingredientes que iam surgindo, tal e qual como gosto de fazer...
Diz quem provou que estava muito bom, e na minha opinião, de quem não aprecia esta carne, estava de facto muito bom.... Tenrinho, suculento...  Sem dúvida a repetir, ao longo do ano, porque Natal é "Quando o homem quiser"!
Saíram duas versões uma mais convencional, e outra com um toquezinho mais arrojado, para quem aprecia o contraste doce/salgado.
Desejo a todos que me visitam um novo ano muito feliz, carregadinho de coisas boas, desejos e projetos concretizados. Que a família, o amor e a amizade prevaleçam sempre, acompanhados de uma mesa recheada de bons "Postiscos", convívio e partilha.

Obrigada por me acompanharem!

Ingredientes (Serve 6/8)
- 2 peitos de perú inteiros
- 1 molho grande de espinafres (ou duas embalagens dos já arranjados)
- 250 g de bacon fatiado
- 1 embalagem de cogumelos frescos
- 2 laranjas
- 1 limão
- 1 cebola pequena
- 5 dentes de alho
- 1 folha de louro
- Salsa, q.b
- 1 copo grande de vinho branco
- Azeite
- Sal
- Alho em pó
- Mistura de alho e ervas aromáticas
- Pimenta moída na hora
- Miolo de noz a gosto (1 mão cheia)
- Ameixas secas sem caroço
- Batatinhas para assar
- Castanhas sem pele (usei congeladas)

Método:
- Abrir os peitos de perú, deixando-os num placa inteira com cerca de 1 a 2 cm de espessura.
- Temperar com sal, sumo de limão, sumo de laranja, alho em pó, e mistura de alho e ervas aromáticas. Reservar, no mínimo 2/3h. (O ideal será ficar de um dia para o outro)
Recheio:
- Picar finamente a cebola, os dentes de alho, e o bacon (sem o courato), reservando fatias suficientes para cobrir os rolos de carne.
- Levar ao lume alto, num wok ou frigideira larga, com um fio de azeite.
- Lavar e arranjar os cogumelos, picando-os grosseiramente.
- Assim que aquecer bem, e a cebola transparecer juntar os cogumelos e a salsa picada. Deixar cozinhar em lume forte até perder a água.
- Juntar os espinafres, temperar com sal, pimenta e a mistura de ervas. Deixar cozinhar e secar.

Montagem dos rolos:
- Tirar a carne da marinada, e sobre uma tábua abrir bem. Sob o comprimento, na zona central espalhar o recheio, nos dois peitos.
- Num deles (ou nos dois) juntar miolo de noz grosseiramente picado, e ameixas secas.
- Enrolar, apertando bem.
- Dispor por cima as fatias de bacon, e enrolar com fio de cozinha, de forma a ficar bem atado e apertado.
- Colocar num tabuleiro de forno, dispondo à volta as batatinhas descascadas e as castanhas. Regar com a marinada e um fio de azeite por todo o tabuleiro.
- Levar ao forno pré-aquecido a 180º, até estar bem cozinhado, com a carne passada mas ainda suculenta. 
Se o bacon começar a queimar, a meio tapa-se com papel de alumínio, tirando a 5/10 minutos do final para voltar a tostar.

Tirar do forno, deixar tapado uns 10 minutos antes de fatiar, para a carne descansar.

Servir fatiado, com as batatas, as castanhas, com rodelas de laranja e uma boa salada verde.

Bom apetite e FELIZ ANO NOVO!!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!


Bolo de Laranja {com Iogurte} e a parceria com a "Origens Bio"



A Origens Bio, que amavelmente me ofereceu uma série de alimentos, de origem biológica e orgânica para que pudesse experimentar, é uma empresa direccionada para a alimentação biológica, e a gama de produtos é variadíssima.
Asseguro que, pelos menos os que provei, são de grande qualidade, a acredito que os restantes também. Então os iogurtes são maravilhosos... alguns deles têm feito o meu lanche da manhã, simples ou com fruta... muito, mas muito bons mesmo!!! e Eu que nem sou grande fã de iogurtes... (aqui e aqui as publicações no facebook)
Mas a experiência tinha que ir mais além, e assim que vi os iogurtes naturais, a associação ao bolo de laranja preferido cá de casa, foi direta e imediata!
Daí a passar à acção foi um instante. Nesta receita a bimby é fundamental. Naturalmente que é possível fazê-lo pelo método tradicional, mas o resultado não é exactamente o mesmo.
Sai um bolo fofo mas húmido, intenso no sabor a laranja. Faz sucesso todas as vezes que sai à baila.
A receita é uma ligeira adaptação de uma que vem no livro base da bimby (pelo menos do meu!)

Arrisquem a experimentar, que o sucesso e garantido.

Ingredientes
2 Laranjas de casca fina
400 g Açúcar
5 Ovos
200 g Manteiga (ou margarina)
2 Iogurtes naturais ( usei Bio, da Pur Natur)
440 g farinha
1 c.s. fermento em pó
1 pitada de sal

(Nota: Estas são as quantidade que faço normalmente, para um bolo grande)

Método by Bimby:
1. Lavar e cortar as laranjas em pedaços grande . Reservar.
(se as laranjas tiverem casca grossa, devem ser descascadas, retirando com cuidado apenas a casca laranja, e de seguida limpar a laranja da pele branca (que fica a seguir à casca) )
2. No copo, deitar as laranjas (e as cascas), os ovos e o açúcar. Programar 1min 30seg, 50º, vel.5
3. Juntar a manteiga, os iogurtes e uma pitada de sal. 30seg, vel.5
4. Juntar a farinha e o fermento peneirados, e envolver. 10 seg. vel.4
5. Untar uma forma de buraco com manteiga e polvilhar com farinha. 
6. Deitar a massa e levar ao forno pré-aquecido a 170º/180º, aproximadamente 30/40 min, até fazer o teste do palito e sair limpo.

Desenformar e decorar a gosto, por exemplo com açúcar em pó.

Método Tradicional

1. Lavar e cortar as laranjas em pedaços grande . Reservar.

(se as laranjas tiverem casca grossa, devem ser descascadas, retirando com cuidado apenas a casca laranja, e de seguida limpar a laranja da pele branca (que fica a seguir à casca) )
2. Num liquidificador, triturar as laranjas até obter uma papa grossa. Reservar.
3. Derreter a manteiga.
4. Com uma batedeira, bater os ovos inteiros, até duplicarem de volume. Juntar o açúcar e bater mais uns minutos. 
5. Juntar a manteiga derretida ainda morna, as laranjas, os iogurtes, e a pitada de sal, sempre a bater.
6. Juntar a farinha e o fermento peneirados, e envolver, até estar uma massa uniforme.
5. Untar uma forma de buraco com manteiga e polvilhar com farinha. 
6. Deitar a massa e levar ao forno pré-aquecido a 170º/180º, aproximadamente 30/40 min, até fazer o teste do palito e sair limpo.

Desenformar e decorar a gosto, por exemplo com açúcar em pó.

Bom apetite e Bons "Postiscos"!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!





Bolo de Chocolate {com Beterraba e Farinha de Amêndoa} e Gelado de Banana com Frutos Vermelhos

E para primeira receita do Workshop "Balança vs Prato" vou começar pelo fim!!!

A sobremesa, que foi um surpreendente bolo de chocolate, denso, húmido, intenso.... mesmo à medida de um verdadeiro "chocaólico", mas com a vantagem de ser pouco calórico e super saudável!!! leva beterraba e farinha de amêndoa...Estranho, ou não é realmente maravilhoso!
E o que é que podemos pedir mais?
Diriam: nada, certo?? Mas ainda podemos...
E que tal se juntarmos à nossa fatia de bolo morninha, uma bola de um gelado super saudável, também???
Ah pois é... trata-se do famoso gelado de 1 só ingrediente de base: B-A-N-A-N-A!!!
Ou seja, podemos fazer um geladinho, apenas e só com banana congelada. É tão simples quanto ter no congelador sempre 2 ou 3 bananas, colocá-las num robot de cozinha (eu uso a bimby) e triturar ... e Tchanam... temos gelado!!!
Depois as variações são imensas, é só juntar ingredientes e aromas a gosto.... frutos vermelhos, chocolate, baunilha, hortelã, mel...etc...
Deliciem-se!
Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada! 

















O Workshop: "Balança VS Prato" e as suas receitas...


E no domingo passado, lá aconteceu o 2.º workshop, desta vez dedicado a receitas "mais levezinhas" mas não menos saborosas.
O objetivo era tentar reduzir caloricamente ou tornar mais saudável, algumas receitas do nosso dia-a-dia.
Pelo feedback, o objetivo foi cumprido.
Foi uma tarde bem passada, a cozinhar e mais cozinhar, mesmo como gosto! e no final a outra parte, provar e degustar!!!

A pouco e pouco (porque isto dá muito trabalho :) ) vou publicando as receitas, e vão sendo atualizadas, com links diretos, nos títulos abaixo.

Então o nosso repasto, foi constituído pelo seguinte:

2. Sopa de Grão com Agrião e Coentros {Sem batata}
3. Gratinado de Bacalhau com Camarão {Sem batatas, sem natas, sem bechamel}
4. Strogonoff de frango com Arroz Fingido {Redução na gordura, sem hidratos carbono}
5. Espiral de Batata doce com Espinafres e Molho de Caju cru {Vegetariano}

E pronto, foi isto!!!

Quem sabe se não haverá mais! ;)

Balança VS Prato

Fonte da imagem: pesquisa internet
Caríssimos seguidores, o Pão com Chocolate, ou melhor dizendo a sua autora, tomou uma decisão que há muito andava a adiar. 
Como o que tem que ser tem muita força, e os argumentos contrários começaram a deixar de conseguir vingar... não me restou outra opção, se não assumir!
Pela minha família, pela minha princesa, mas especialmente por MIM, tinha que mudar!
O aspeto físico é importante, mas quando a negligência que praticamos para connosco começa a afetar a nossa saúde, aí tem que entrar um travão.
Ir a uma consulta de rotina ao Centro de Saúde e ouvir a enfermeira que preenchia os meus dados, dizer a seguir à pesagem "...Pois... com este IMC... não posso fazer nada... vou ter que abrir a "Ficha de Obesidade..." Pareceu-me muito mal, e foi o clique que faltava.
Acabaram-se as desculpas... "Ah e tal não tenho tempo..." "Ah e tal, a minha filha, e as suas atividades ocupam-me muito..." "Ah e tal, hoje estou é inchada..." "Ah e tal, isto é tudo descontrole hormonal".... BASTA!!!!
Eu sou mais inteligente que isso, preciso e quero mais... Mereço mais!
Por isso naquele dia, prometi a mim mesma, que a inercia e as desculpas iam acabar. Na próxima visita ao centro de saúde (que seria daí a um mês ou dois) a tal da ficha vai desaparecer!
Já fiz dezenas de dietas, mas desta vez tinha que ser diferente.
Procurei ajuda. Foi-me definido um plano alimentar adaptado a mim, ao meu organismo, que juntamente com alguns tratamentos, exercício físico e muitaaaaaa água... acredito ser a solução. Zero de comprimidos e chás e porcarias dessas, foi ponto assente.
Com uma ajudinha do marido nas atividades da princesa... uma alteração aqui e outra ali na gestão da casa e das refeições, et voilá... afinal consegui arranjar tempo para mim... E nem foi assim tão difícil!
Isto, e o facto de estar a fazer esta caminhada em parceria com umas amigas, faz com que isto seja muito mais fácil, chegando até a ser divertido, ah pois é! É terapêutico, aquelas horas do dia, que temos só para nós.
Passei um bocadinho de fome. Não vou mentir! Os primeiros 2/3 dias foram difíceis.
Agora já me habituei. Sinto-me bem, e por incrível que pareça, com muito mais energia! Uma destas noites, depois da bicicleta, até me apeteceu passar a ferro, imagine-se só!!!! (E o que eu detesto aquele ferro!)

Adoro Comer. Não adoro, Amo! e Apetece-me sempre, sempre! Esta é a grande guerra! Mas temos que aprender que não podemos fazer sempre aquilo que nos apetece... e com a comida, tem que ser exatamente da mesma forma!
Tudo isto foi há duas semanas.... e posso dizer que levo quase 2kgs de vantagem em relação ao que o plano previa... Oh yeah!!!
Esta é a luta a que me propus, por uma boa causa, a MINHA causa!
Se leram isto tudo até aqui, merecem saber o seguinte:
Não vou deixar de publicar "Postiscos" daqueles bons. Podem ficar descansados, pois tenho uma boa reserva deles, que me permite ir partilhado... até porque não podemos esquecer que a comida existe!!!
Vou, é juntamente com o "diabinho" (que também nem sempre é mau) apresentar-vos também o "anjinho", ou seja as minhas receitas renovadas, mais saudáveis e que ainda ajudam a mandar embora os marotos dos quilos a mais...

Desenganem-se se acham que não são "Bons Postiscos" à mesma, porque são. Pois eu recuso-me a fazer comida desenxabida, feia e sem graça nenhuma.
Essa é a outra parte, aprender a desafiar a minha criatividade e imaginação, no que há comidita saudável e pouco calórica, diz respeito!
Espero que me acompanhem nesta jornada de luta pela saúde, melhor dizendo, pela vida!!!!
Obrigada por estarem aí! 

Workshop "Balança vs Prato"

Gostei tanto que resolvi aventurar-me e organizar por minha conta e risco mais um workshop.
É já no próximo domingo (dia 22 Novembro)... Mais um projeto"Fora da Minha Cozinha"...
Obrigada a quem se aventurou comigo, e já se increveu...
Embora sejam muito poucas as vagas existente ... até amanhã (sexta) ainda aceito inscrições, :)

Esperemos que corra bem, e quem sabe se não dou continuidade a este tipo de iniciativas!! :)

O tema, segue o assunto da "Balança VS Prato"


Bolo e Noz Favo de Caramelo {Com Buttercream de Baunilha}


Fim de semana à porta, é uma boa deixa para se chegar à cozinha e fazer um bolinho.
O tempo já arrefeceu, e já apetece ter o forno ligado e deixar pela casa um aroma delicioso de bolo acabado de fazer.
Hoje deixo-vos a receita de uma bolo bem simples, mas Delicioso.
Este menino remete-me para os tempos de faculdade. Aprendi a receita com a mãe da minha amiga Ema. A Ema é uma alentejana, agora quase algarvia e sempre "super fashion", em cima do acontecimento com as festas mais "in" do momento na sua agenda... Pouco dada à cozinha. Na faculdade partilhámos casa, e já se está a ver quem é que organizava as festas e a quem é que calhava a parte da cozinha... 
Um dia apareceu com este bolo, feito pela D. Maria, sua adorável mãe. Amei, e tive que ter a receita. Desde aí, saiu várias vezes na calha.
Entretanto, foi ficando esquecido por entre o livro de receitas... e um dia destes dei com ele, e pensei como seria possível à tanto tempo não fazer este bolo tão bom...
Outra amiga e comadre, a Filipa fez anos, combinámos uma jantarada que não era de aniversário, mas eu tinha que lhe fazer um bolinho... nem pensei duas vezes. Era Este!!!
Porque era um bolo de aniversário, fiz apenas uma alteração que foi não usar o favo de caramelo na cobertura (que lhe dá um toque fantástico) mas cobrir e rechear com um buttercream de baunilha.
Ficou divinal, juro! Houve até quem dissesse que foi o melhor bolo de sempre!!! O Vinho do Porto dá-lhe aquele toquezinho especial.
Obrigada à D. Maria pela receita, e peço desculpa pelo crime de a ter deixado adormecida tanto tempo... :)

Ingredientes:
Bolo:
- 125 g de Miolo de Noz
- 150 g de Açúcar
- 150 g de Margarina
- 4 Ovos
- 150 g de Farinha 
- 1 c.chá de fermento
- 1 cálice pequeno de Vinho do Porto

Favo de Caramelo:
250 g açúcar coberto de água

Buttercream de Baunilha:
- 150 g Manteiga de vaca sem sal
- 100 g Margarina cremosa tipo "Becel"
- 150 a 200 g açucar em pó
- Essência de baunilha a gosto 

Método 
Bolo (Com bimby)
1. Picar o miolo de noz com uns toques de turbo, até estar picadinho, mas não em farinha. Retirar e reservar.
1. No copo, juntar o açúcar com a margarina, e com a borboleta bater cerca de 2 minutos, vel 3, até estar um creme fofo e esbranquiçado.
3. Com a bimby a trabalhar, na mesma velocidade, juntar as gemas uma a uma, até estar uma massa bem fofa e uniforme.
4. Juntar o miolo de noz, e envolver.
5. Juntar a farinha peneirada e misturada com o fermento, e envolver.
6. Deitar o vinho do porto e voltar a envolver.
7. Bater as claras em castelo com umas pedrinhas de sla grosso, e depois envolver pouco a pouco, cuidadosamente na massa. (As claras podem bater-se na bimby, antes de começar o bolo, e transferir para um recipiente de vidro, até esta altura)
8. Levar ao forno pré-aquecido a 170º, em forma untada e polvilha com farinha, ou então forrada com papel vegetal.


Bolo (Tradicional)
1. Picar o miolo de noz à mão ou numa picadora, até estar picadinho, mas não em farinha. Reservar.
1. Num taça, juntar o açúcar com a margarina, e com a batedeira bater até estar um creme fofo e esbranquiçado.
3. Juntar as gemas uma a uma, sempre a bater, até estar uma massa bem fofa e uniforme.
4. Juntar o miolo de noz, e envolver.
5. Juntar a farinha peneirada e misturada com o fermento, e envolver.
6. Deitar o vinho do porto e voltar a envolver.
7. Bater as claras em castelo, com umas pedrinhas de sal grosso, e depois envolver pouco a pouco, cuidadosamente na massa. 
8. Levar ao forno pré-aquecido a 170ºC, em forma untada e polvilha com farinha, ou então forrada com papel vegetal.

Com o Favo de caramelo:
Num tachinho, levar ao lume o açúcar com a água, deixar ferver, e ir mexendo até estar uma calda lisa brilhante, retirar do lume assim que ganhe uma cor de caramelo clarinha. o objectivo é ficar um caramelo liquido, que consiga ser parcialmente absorvido pelo bolo.

Desenforma-se o bolo ainda morno, e deita-se o caramelo por cima. Decora-se com metades de nozes.

Com o Buttercream:
1. Bater a manteiga com a margarina, em velocidade alta até duplicarem de volume.
2. Juntar o açucar e continuar a bater até estar um creme bem fofo e liso.
3. Juntar o aroma de baunilha batendo sempre.
Se o creme talhar, continuar a bater que voltará a ficar lisinho.

Desenforma-se o bolo, e deixa-se arrefecer bem. Abre-se ao meio ou em 3 partes. recheia-se com parte do creme, reservado uma parte para a cobertura.
Cobre-se o bolo com o restante creme, e decora-se a gosto.

Bom apetite, e Bons "Postiscos"!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!

Tarte de Batata Doce e Amêndoa

E pronto, no seguimento do post anterior, cá está a primeira receita nova, realizada no workshop.
Nesta época, em que a batata doce abunda, esta tarte é obrigatória.
É maravilhosa, não é muito doce, mas o contraste da suavidade do recheio com o crocante da cobertura, é qualquer coisa.
Para apresentação usei uma tábua da Gradirripas. Digam lá que não é linda! E a qualidade é realmente TOP!

Experimentem mesmo...vale tanto a pena...

Ingredientes
Recheio
650 g de batatas doce, sal
180g de açúcar amarelo
60 de margarina ou manteiga
100 g de amêndoa finamente ralada
30 g de Maizena
4 ovos
amêndoa laminada / Nozes grosseiramente picadas, para polvilhar
raspa de casca de limão
canela em pó
mel e açúcar em pó

Massa Quebrada (em alternativa pode ser de compra)
200g farinha
100g manteiga à temperatura ambiente.
1 pitada sal
50 ml água

Método tradicional 
1. Lavar muito bem as batatas, colocar num tacho. Cobrir com água, juntar uma pitada de sal, e levar ao lume até cozinharem e estarem bem macias.
2. Escorrer as batatas, tirar a pele, e triturar bem (com um garfo, por exemplo ou robot de cozinha). Deixar arrefecer.

3. Entretanto, fazer a massa quebrada, juntado todos os ingredientes e amassando bem até estar uma massa uniforme. Reservar no frigorífico, envolvida em película.
4. À batata doce juntar a raspa de limão, um pouco de canela, o açúcar amarelo, a margarina e a amêndoa ralada previamente misturada com a maizena. Bater bem.
5. Juntar os ovos e voltar a bater até estar um creme uniforme.
6. Estender a massa, polvilhando com farinha e forrar uma tarteira de fundo amovível, com papel vegetal, e colocar a massa. Picar com um garfo.
7. Deitar o creme sobre a massa, e voltar as bordas sobrantes para dentro, e cortar o excesso de papel.
8. Espalhar por cima a amêndoa laminada e as nozes picadas. Polvilhar com canela. e levar ao forno pré-aquecido a 180º, Cerca de 30 a 40 minutos.
9. Assim que saia do forno, pincelar com mel diluído, e depois de fria polvilhar com açúcar em pó.
Servir.

Com bimby
1. Lavar muito bem as batatas, colocar no cesto partidas em pedaços, dentro do copo da bimby, Juntar cerca de 1l de água (Cobrir as batatas), juntar uma pitada de sal, e programar 20 min / 100ºC / vel 3 
2. Escorrer as batatas, deixar arrefecer e tirar a pele.
3. Passar o copo por água, e deitar os ingredientes da massa. Programar 15 seg / vel 6 . Tirar a massa e reservar no frigorífico, envolvida em película.
4. Deitar no copo a batata e triturar. 30 seg. vel 5
5. Juntar a raspa de limão, um pouco de canela, o açúcar amarelo, a margarina e a amêndoa ralada previamente misturada com a maizena. Bater bem. 1 min. vel 4
6. Juntar os ovos e voltar a bater até estar um creme uniforme. cerca de 1 min vel. 4
7. Estender a massa, polvilhando com farinha e forrar uma tarteira de fundo amovível, com papel vegetal, e colocar a massa. Picar com um garfo.
8. Deitar o creme sobre a massa, e voltar as bordas sobrantes para dentro, e cortar o excesso de papel.
9. Espalhar por cima a amêndoa laminada e as nozes picadas. Polvilhar com canela. e levar ao forno pré-aquecido a 180º, cerca de 40 minutos.
8. Assim que saia do forno, pincelar com mel diluído, e depois de fria polvilhar com açucar em pó.
Servir.

Bom apetite e Bons "Postiscos"!


Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!



O Workshop {Açordas Alentejanas e Petiscos} e as suas receitas ...


Esta semana terminou o meu primeiro workshop. Digo primeiro, pois gostei tanto que quem sabe se não se seguirão outros... :)
o tema era "Açordas Alentejanas e Petiscos", e o objetivo era em 4 dias, fazer 4 receitas diferentes de açordas. De forma a no final proporcionar uma refeição, teríamos também que preparar uma entrada e uma sobremesa.
Nesse caso a minha proposta foram receitas rápidas, não tipicamente alentejanas, mas que tivessem nos seus ingredientes produtos da época ou da região.
Em cada dia, algumas dessas receitas eram ainda dividas em duas versões, de forma a mostrar que a mesma base permite apresentações diferentes...
Apesar desta ter sido uma iniciativa do Estúdio Jovem conforme expliquei neste Post, o grupo de "workshopers" era formado por pessoas acima dos 30 anos... :)
Foram 4 noites muito bem passadas, com pessoas muito divertidas e trabalhadoras!!! Comida e mais comida.... Mas valeu tanto a pena!!!
Quanto às receitas, deixo-vos o cardápio... algumas já estão publicadas, e caso queiram consultar, basta clicar no nome que são direcionadas para o Post respetivo. As restantes vão sendo publicadas, sendo que a primeira virá já de seguida.... :)
Obrigada a todos os envolvidos pela fantástica experiência!!
1.º Dia
- Brushettas Alentejanas vs Paté Alentejano no pão
- Açorda de Espinafres com Amêijoas e Camarão vs Açorda de Espinafres com Queijo e Ovo
2.º Dia
- Crumble de maçã e Framboesa vs Crumble de Marmelo, Chocolate e Noz
3.º Dia
- Espargos verdes enrolados em Presuntos vs Cogumelos Recheados
- Sopas de Tomate com Bacalhau vs Sopas de Tomate com Enchidos, Figos e Uvas
4.º Dia
- Papelotes de Massa filo com Queijos e Doces vs Tâmaras e Bacon
- Tarte de Maçã e Noz vs Tarte Enrolada de Frutas
Bom apetite e Bons "Postiscos"!

Workshop "Açordas Alentejanas e Petiscos"

Pois é, é já na próxima semana que inicio um novo projeto "Fora da Minha Cozinha"...
Trata-se de um Workshop.
Sem qualquer experiência na matéria, aceitei de bom grado, o desafio do "Estúdio Jovem" da Câmara Municipal de Grândola e vamos desenvolver um workshop sob o tema "Açordas Alentejanas e Petiscos"
Ao que parecem, as inscrições esgotaram em poucos dias...
Esperemos que corra bem, e quem sabe se em seguida não haverão mais iniciativas do género!! :)


Bolo de Outono {Marmelada, Pinhão e Noz}

O tempo passa mesmo a correr... Em menos de nada chegou mais um dia 1!
O Outono já aí está... pelo menos no calendário, porque os dias ainda se fazem quentes. Cá por casa, já fizemos o encerramento do Verão, com uma despedida em grande num belíssimo dia de praia, por isso venha de lá o Outono!!!
Para o receber, e participar em mais um "Dia Um...Na Cozinha", o grupo do facebook a que pertenço, tinha que fazer um bolinho. A regra do grupo, diz que a publicação tem que ser feita no 1.º dia do mês, e sob o tema definido, que este mês ditou que fossem " Belos e Saborosos Bolos de Outono".
Assim que vi, a associação a este bolo foi imediata. É um dos meus bolos preferidos... não foi preciso qualquer pesquisa. tinha que ser este!!! É maravilhoso, no aroma, na textura, no sabor, enfim, um pecado que sabe tão bem acompanhado de uma chávena de chá a fumegar...
Para ajudar, estava à espera do pretexto perfeito para experimentar uma forma especial que comprei numa feira de velharias... É tão, mas tão linda, que tinha que ser minha!! É uma forma antiga em cobre, estanhada por dentro e com um desenho no fundo. É um mimo. É pequenina, o que a torna ainda mais perigosa, pois permite fazer um bolo rapidíssimo, que serve 6 ou 7 fatias... quando de repente precisamos de algo assim.
A marmelada que usei, foi a do ano passado, pois ainda não tive tempo para fazer a deste ano, embora o saco de marmelos já lá esteja à minha espera. Essa será alvo de uma próxima publicação.
Para a desgraça ser ainda maior, juntei -lhe um chantilly, ao qual me lembrei adicionar uma colheradas de geleia de marmelo também caseira... simplesmente d-i-v-i-n-a-l!!!
Um bom outono, e que haja sempre motivos para "postiscos" e convívios à volta de uma mesa recheada.
Espero que gostem!
Vou indicar a receita completa, embora para esta forma tenha usado metade, pois faz um bolo bem grande.

Ingredientes:

Para o Bolo
- 6 Ovos
- 150 g de Açucar Mascavado 
- 120 ml de Óleo
- 300 g de Marmelada
- 50 g de Nozes Picadas
- 50 g de Pinhão
- 200 g de Farinha 
- 1 c. chá bem cheia de Fermento


Para o Chantilly de Geleia
- 200 ml de Natas para bater
- 1 c. café de sumo de limão
- 2 c.s. Geleia de marmelo
- 1 c.s. Açúcar (opcional) 

Método:

Com bimby:
1. Bater as claras, com borboleta, vel. 3,5 até estarem em castelo. retirar para uma taça de vidro e reservar.
2. Sem lavar a bimby, e ainda com a borboleta, bater as gemas com o açucar. 37º, vel 3, 3 min.
3. Juntar o óleo e envolver.
4. Esmagar a marmelada com um garfo ( a minha estava muito dura, aqueci primeiro ligeiramente no microondas) e juntar à bimby, envover vel. 2/3 até a massa estar mais ou menos uniforme, embora ainda se note pedacinhos de marmelada.
5. Juntar as nozes e os pinhões e envolver, vel. 2
6. Juntar a farinha com o fermento (peneirada se possível), alternada com as claras em castelo, e envolvendo na vel. 1,5, ainda com a borboleta.
7. Deitar numa forma untada e polvilhada com farinha, e levar ao forno a 170ºC até cozer, demorará cerca de 30 min.

Nota: A massa é uma massa bem grossa. Mas se estiver demasiado, pode juntar-se mais uma ou duas claras batidas em castelo (Depende do tipo de marmelada)

Tradicional:
1. Separar as claras das gemas.
2.Com a batedeira, bater as gemas até ficar um creme fofo.
3. Juntar o óleo e envolver.
4. Esmagar a marmelada com um garfo ( a minha estava muito dura, aqueci primeiro ligeiramente no microondas) e juntar. Bater em vel. baixa, até a massa estar mais ou menos uniforme, embora ainda se note pedacinhos de marmelada.
5. Juntar as nozes e os pinhões e envolver.
6. À parte, bater as claras, até estarem em castelo.
7. Juntar a farinha com o fermento (peneirada se possível), alternada com as claras em castelo, e ir envolvendo.
7. Deitar numa forma untada e polvilhada com farinha, e levar ao forno a 170ºC até cozer, demorará cerca de 30 min.

Nota: A massa é uma massa bem grossa. Mas se estiver demasiado, pode juntar-se mais uma ou duas claras batidas em castelo (Depende do tipo de marmelada)

Para o Chantilly (Não uso a bimby... normalmente, não me corre bem...)

1. Bater as natas, com o sumo de limão e o açúcar, até estarem bem firmes. Envolver a geleia até uniformizar.
O açúcar é opcional, pois a geleia já é bastante doce. Depende da quantidade que usar.

Servir o bolo, com o chatillly.

Bom apetite e Bons "Postiscos"!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!




Tarte de Figos Frescos {com Amêndoa}


Figos. O que eu adoro figos! Calóricos, mas uma fruta maravilhosa... não é possível comer só um.
O que tem de bom é que só existem frescos, num período de tempo muito curto... (Ou não... desde que descobri, que se podem congelar depois de descascados, arrumados numa caixinha... então é a desgraça... )
Já tem algum tempo que experimentei esta deliciosa tarte... mas não tenho tido oportunidade de vos apresentar a receita.
A receita é  baseada na da Clara de Sousa, da sua página, onde tem receitas maravilhosas. "A minha cozinha"
A esta altura, figos frescos, já há muito poucos, mas ainda assim deixo-vos esta sugestão, até porque pode muito bem usar-se outras frutas... como por exemplo, ameixas e pêssegos, ou até figos frescos congelados, que para este efeito funcionam lindamente.
É uma ótima receita para celebrar a chegada do outono. Servida morna com uma bola de gelado é simplesmente divinal.
Na Receita original: Tarte Quente de Figos - "A Minha Cozinha", os figos usam-se descascados, mas eu resolvi fazer uma experiência. Dividi a receita por duas tarteiras retangulares pequenas, e numa usei com casca, noutra sem casca... e confesso, que funciona melhor sem casca...
Espero que gostem!

Ingredientes:
 Massa:
250g de farinha sem fermento
50g de açúcar
125g de margarina 
1 ovo
Recheio:
15/16 figos "pingo mel" maduros
3 Ovos
1 Iogurte grego natural
60g de Amêndoa moída
Raspa de meio limão
110g de açúcar mascavado
1 saqueta de açúcar baunilhado
40g de farinha sem fermento

Método:
Com bimby:
1. Misturar a farinha com o açúcar, e envolver. 5 seg. Vel 3
2. Juntar a margarina bem fria, cortada em pequenos pedaços e misturar até ficar uma massa areada. 20 seg. Vel. 3/4
3. Juntar o ovo e bater só o suficiente para envolver tudo muito bem. vel. 3./4

Tradicional:
Misturar a farinha com o açúcar, juntar a margarina cortada em bocadinhos e trabalhar com as pontas dos dedos, até arear. Adicione o ovo e amasse, até ligar bem.
Amassar para formar uma bola e descansar 30 minutos.

- Forrar uma tarteira grande ou duas pequenas, com a massa.
- Picar com um garfo, cobrir com papel vegetal, espalhar feijões para cobrir a base.
- Levar ao forno, pré-aquecido a 200º durante 15 minutos. 
- Deixar arrefecer, e tirar os feijões. Reservar.

Entretanto, prepara-se o recheio:
- Descascar ( ou não) os figos, e abri-los ao meio, no sentido longitudinal.
- Na bimby (ou numa tigela, com uma vara de arames) bater os ovos (10 seg. vel.3)
- Juntar o iogurte, a amêndoa, os açúcares e a raspa de limão (só o vidrado) e envolver tudo muito bem. (10 seg. vel.3)
- Juntar a farinha e envolver bem, até ficar um creme liso e uniforme (vel. 3)

- Deitar o creme sobre a base de tarte, e distribuir as metades de figo com cuidado, e com a polpa virada para cima.
- Levar ao forno, cerca 180ºC, até o recheio cozer, e a tarte ganhar um pouco de cor.

Servir morno (se possível) acompanhado com uma bola de gelado de baunilha.

Bom apetite, e bons "Postiscos"!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!



Bruschetta de Figos e Chevre {em Bolo do Caco}

Já há algum que tempo que não participava no desafio "Dia 1... Na cozinha".
Para quem não sabe, este desafio é lançado num grupo do facebook que os participantes têm que publicar no frigoríficoda mês uma receita, baseada num tema comum a todos.
Este mês a eleita é a "Brushetta"!
E uma bruschetta não é mais que um petisco de origem italiana, simples e despretencioso.
A base é uma fatia de pão tostado, esfregado com alho e um fio de azeite. Os restantes ingredientes dependem da originalidade e gosto de cada um...
O queijo mozzarella e o tomate também são muito comuns, mas desta vez não foram esses os eleitos.
Tinha figos fresquinhos, um bolo do caco que comprei ontem na feira, e queijo chevre no frigorifico.
E pronto a bruscheta começou a tomar forma... A combinação de figos com o chevre já fazia parte de uma receita que custumo preparar para entrada em petiscadas. Juntar o bolo do caco, pareceu-me perfeito!
E não me enganei nada. Ficou divinal.
O doce em contraste com o salgado e acidez do vinagre balsâmico, à mistura com o crocante dos frutos secos e do  bolo torrado é maravilhosa!!!
Comia já outra!!!

Ingredientes (serve 2)
- 1 bolo do caco pequeno, ou 1/4 de um grande ( ou 2 fatia de pão)
- 2 ou 3 figos verdes
- 4 fatias de queijo de cabra chevre com cerca de 1 cm
- frutos secos ( usei noz e amêndoa)
- 1 dente de alho
- Azeite q.b
- Vinagre balsâmico q.b
- Creme balsâmico q.b

Método:
1. Lavar e abrir os figos ao meio. Reservar.
2. Cortar o queijo em fatias.Picar os frutos secos e panar o quejo, pressionando um pouco de cada lado para aderir bem.
3. Numa frigideira anti-aderente aquecer um fio de azeite, e cozinhar o queijo em lume forte, cerca de um minuto de cada lado, apenas para dourar os frutos secos. Retirar e reservar.
4. Na mesma frigideira, aquecer os figos, com a parte cortada virada para baixo, borrifando com um pouco de vinagre balsâmico.
5. Ao mesmo tempo, abrir o bolo do caco ao meio e torrar. Assim que estiver, esfregar ligeiramente com o dente de alho e um fio de azeite.
6. Empratar, colocando uma fatia de bolo, 2 fatias de chevre, 2 metades de figo.
7. Salpicar com mais frutos secos e um pouco de creme balsâmico.
Servir de imediato.

Bom apetite e bons "Postiscos"!

Se gostou, e quer guardar ou imprimir, clique no botão "Print" no final do post.
Obrigada!